Rodrigo James

Harder, faster, improved

Wry e o My Bloody Valentine

Wry é uma banda brasileira, de Sorocaba, que há anos se mudou para Londres para tentar a sorte por lá. E tem se dado bem no mercado inglês, já que seu som (uma mistura de indie rock e shoegaze com um peso extra) tem tudo a ver com esta cidade.

Por isto, é legal quando Mário Wry, o vocalista da banda, dá notícias como esta abaixo, postada no orkut da banda:

O dia que o My Bloody Valentine assistiu o show do Wry

Deixarei de lado um pouco a poesia, a prosa e o verso pra relatar aqui no meu blog um dia espetacular. O melhor dia desses 6 anos morando em Londres. Foi ontem, dia desesseis de maio de dois mil e oito. Quando fechei meus olhos e toquei por meia hora nosso set novo que o Brasil ainda esta para conhecer; e que assim tambem em transe fizeram Luciano, Chokito e Andre.
Eu ja sabia que existia a possibilidade de Kevin Shields (My Bloody Valentine) vir ao show, ja que sua namorada, Charlotte, era a vocalista da banda que tocaria antes da gente, ontem no Buffalo Bar, a qual podemos dizer que eh nossa casa nessa cidade cinza e sarcastica. E tambem, eu havia conhecido Kevin em uma outra noite quando essa mesma banda, Le Volume Courbe, havia tocado la.

Ja na passagem de som, estava la eu falando com Douglas Hart (The Jesus and Mary Chain) que eu tambem ja conhecia antes e que eh baixista do Le Volume Courbe, sobre a cover do Jesus que o Wry fez para uma coletanea britanica da ClubAC30 de bandas contemporaneas tocando classicos de bandas noise e shoegaze do passado, que vai sair em breve chamada Never Lose That Feeling. Acabei dando uma gafe quando fui perguntado qual era a musica e nao lembrava o nome, que agora com facilidade preenche minha cabeca: Some Candy Talking.
Fiquei nervoso depois disso. O bar estava quase para abrir e vi a lista de convidados: Kevin Shields, Colm O’Ciosoig and Debbie Googe (MBV) e Bobby Gillespie. Belinda nao viria, que ao meu ver, era justo, ja que eh uma ex de Kevin e o que estaria ela fazedo num show da namorada atual do guitarrista. O primeiro a chegar foi Bobby, que conheci um tempo atraz, no mesmo dia que conheci Douglas. Ele parecia perdido, falei com ele e todo estranho me perguntava de Douglas. O povo nao estava na bar, estavam num pub ali proximo. Nao sei o que deu na cabeca do vocalista do Primal Scream que saiu rodopiando e foi embora. Mais tarde Douglas confessara que nao tinha entendido nada, do porque de ele ter ido embora.

De qualquer forma, tudo isso acima nao eh nada comparado com a visao que tive momentos mais tarde – eu sei, sou obssecado, amo MBV acima de qualquer coisa – sei la porque, mas era como um pastor vendo Jesus e dois de seus discipulos entrando em sua Igreja. Exagero neh? Mas ta valendo, nao foi meu esse comentario. Mesmo assim, descendo a escada avistei MY BLOODY VALENTINE!

Falei um oi cordial, ja que conhecia Kevin. Comentei sobre um assunto que nos ligou em contato desde a primeria vez e perguntei se ele iria ver a gente, disse que sim. Eu sai.

As 10.20pm entramos no palco, tocamos os tradicionais trinta minutos de shows que fazemos aqui (e que nao aguento mais, nao vejo a hora de tocar no Brasil um set mais longo), com meus olhos fechados e a emocao a flor da pele. Nao encanei com nada, nao errei nada, fizemos simplesmente o melhor show em Londres, na minha opiniao. Desculpe-me, se pareco repetitivo quando falo que o ultimo foi nosso melhor show, mas se prestar bastante atencao, nao sao todos os ultimos shows que acho o melhore. Esse foi.
Abri meus olhos antes da ultima musica, Disorder, que agora esta numa melhor forma do que aquela que tem no Youtube. Brinquei com o publico e quando olho em minha direcao, um pouco atraz do povo da frente, Kevin Shields sorrindo pra mim. Abaixei a cabeca e tive a certeza que meu unico idolo estava dando uma certa aprovacao com um sinal com o rosto e o sorriso. Beleza, terminou o show e estavamos felizes por mais um desafio terminado e conquistado. Mas nao parou por ai.

Ja no backstage amigos vieram falar do show e comentar que o MBV estava curtindo o show inteiro. Ja fiquei realizado e para mim, eu poderia ter ido embora aquela hora. Sai do camarim, passei por amigos e fans que me paravam com comentarios elogiosos. Indo no caminho da porta, pois minha namorada estava fazendo a entrada para gente, vejo a figura do Kevin deixar um grupo com a qual conversava e vir, por entre pessoas e o aperto, falar comigo. Apertou minha mao firme e disse o quanto o show tinha sido bom. Apertou de novo e completou dizendo que teve momentos do show em que ele pensou em musicas novas. Que tinha se inspirado. Eu disse ironicamente que nao acritava no que dizia, mas que depois pagaria uma bebida para ele. Ele sorriu e eu sai dali, com a cabeca a mil. Poucas coisas me atingem, mas algumas me matam, como essa acima.
Ja eram 11pm e conversamos muito depois, sobre tantas coisas diferentes e ate segredos que nao sao contados a jornalistas, e que eu nao vou relatar aqui. Um dia talvez eu te conto pessoalmente. Debbie Googe disse ter sido fantastico o show, de qualidade e de um carisma impressionante. Do Colm, o baterista do MBV, diziam que balancava a cabeca durante o show todo. Foi bem simpatico comigo, mas nao conversamos, so fomos apresentados. Kevin acrescentou tambem mais tarde que a musica Bitter Breakfast fez ele mesmo pensar numa outra musica. Falando com o Luciano, ele disse que estao escrevendo musicas novas pros shows que vao fazer esse ano. Conversaram sobre pedais. Sons. Ebay. Conversamos sobre caches, Brasil, Londres, guitarras, Belinda e os ensaios da banda.

Tiveram mais duas gafes: eu derrubei um copo de vinho da Debbie, que na verdade nao segurou direito deixando espatifar no chao, do que nos dois queriamos ser o culpado. E Kevin, quase cometeu a gafe da noite. Tinha um anaozinho em nossa frente uma hora, de costas pra gente. Eu vi quando Kevin tentou cutucar o carinha, mas se retraiu rapidamente cochichando comigo que tinha pensado que o cara estava ajoelhado nos cacos do copo que eu havia quebrado. Imagine que engracado e super chato, eh claro, falando pro carinha se levantar.

A noite foi longa e muito divertida, uma noite que ficara na minha memoria. Estavam la muitos amigos, entre eles toda a Goo Goo Gang remanescente em Londres.

terça-feira, maio 20, 2008 - Posted by | musica

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: