Rodrigo James

Harder, faster, improved

Cláudia Leitte, poetisa

Eu juro que não tinha ficado sabendo disso. Segundo o G1, Leitte escreveu um poema para sua sobrinha, em abril, e mandou para a imprensa. Desnecessário tecer qualquer comentário acerca da qualidade do dito cujo.

Vamos a ele:

“NON OMNE QUOD LICET HONESTUM EST.”

Gosto de criancas.
Tem aquelas mais espertas, as quietas.
Ateh as mais sapecas sempre dao paz.

Criancas sem dentes,
Criancas que riem,
Criancas na praia,
Criancas nao sao iguais.

Seus sorrisos sao verdadeiros
Em suas mentiras nao ha desespero
Sao soh fantasias,
Ou medo dos pais

Uma crianca eh como uma estrela
Estamos no ceu se podemos te-la
Olhamos para o ceu se queremos ve-la.

E lhe ensinamos:
A soltar pipas,
Fazer rimas,
Ou um barco, se nao gostar de rimar.

“Vah a escola,
Coma sua merenda,
Sonhe!
Aprenda!

Porque quem sonha alimenta o futuro,
Pode ateh temer o escuro,
Mas sabe que tudo pode superar.”

Crianca brinca o dia inteiro.
“Volte pra casa, menino, entre logo no chuveiro
Depois vah se alimentar…”

“Se nao comer, nao brinca,
Se nao estudar, nao vai ao aniversario da Julia.
Se voce errou, nao minta.
O que voce fez assuma.”

A educacao, o cuidado.
O amor, o preparo.
Privilegios para poucos,
Anseios dos “loucos”?

Pipa, Papel.
Hein?
Barco.
“Nao, Senhor, eu fugi de trem.”

Escola?
“Ah! Merenda.”
Se comer, apanha!
Quer viver, aprenda!
Aprenda logo a roubar.”

Quantos anos voce tem?
“Aqui eh terra de ninguem,
Nao tem aniversario,
Mas eu pratico o conto do vigario,
quer que eu te ensine tambem?”

Nao ha respeito.
Nao ha lei.
Todo dia uma crianca morre,
Ninguem diz: “eu matei”.

Pedofilos, Parasitas, Patifes
e ateh um bando de Politicos.
Baratas, Barbeiros e outros mosquitos.

Uns repousam sobre as feridas e as remelas,
outros trazem febre, que nao importa se eh amarela,
fazem a crianca colorida, acinzentar.

Barrigas grandes de vermes,
Braços pequenos carregando armas.
O menino que nao sabe se defender,
Aprende que tem que matar para nao morrer.

Silencio de um povo que segue
Porque o seu umbigo eh a piscina onde se nada.
Nada. None!
Todo dia uma criança some.
Nada! E mais Nada!
Todo dia tem uma violentada!

Ninguem faz absolutamente nada!
Ninguém eh suficientemente homem.
A gente se senta e come
Enquanto a criança eh enterrada!

Umas são espancadas,
Outras caem de um arranha-ceu
Uma família eh indiciada,
A outra experimenta do mais amargo e puro fel.

Minta, chore, mas corra.
“Ei, menina, não conte a ninguém,
Ao que eu disser, diga: amem
Essa eh a lei, ou então morra.”

E o silencio sempre reverbera.
Nesse mundo onde a beleza impera,
Nao tem espaco para a crianca sonhar.

E a gente que nao eh crianca,
Nem pensar em cochilar!
Pedir a Deus pra nao nos deixar sentir a dor da mae de Isabella,
Acreditar na historia da Cinderela
E continuar a caminhar.
Se “nem tudo que eh licito eh honesto”,
Apenas a confianca no PAI nos ajuda com o resto.

quarta-feira, dezembro 17, 2008 - Posted by | celebridades

3 Comentários »

  1. se alguem ler isso tudo perdoo a divida do bolao com vc

    Comentário por Penalva | quarta-feira, dezembro 17, 2008 | Responder

  2. (eu não li tudo) Peraí pq eu perdi a parte…. Ela mandou pra imprensa????????????????????? E a parte em que os jornalistas juram que a notícia é de interesse púublico?

    Comentário por Graziella Giannini | quinta-feira, dezembro 18, 2008 | Responder

  3. Pelo visto não foi só eu que não chegou ao final do belo poema…

    Comentário por johnpereira | sexta-feira, dezembro 26, 2008 | Responder


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: